Eu POSSO mudar

O que é e para que serve a suplementação alimentar?

Abrindo essa sessão do nosso site, vamos conversar sobre a suplementação alimentar, entendendo melhor o que significa e para que situações esse recurso é mais indicado.

Para que serve a suplementação alimentar?

Como já conversamos nas sessões sobre Saúde e Alimentação, para termos uma vida mais saudável devemos seguir uma dieta balanceada, tentando equilibrar diariamente em nossa alimentação os andares da pirâmide alimentar.

Sabemos que não há nada melhor do que obter os nutrientes que necessitamos para nosso dia-a-dia, como vitaminas e minerais, diretamente de fontes de alimentos, mas as vezes você não consegue manter uma dieta equilibrada regular, ou possui alguma restrição especial, como em caso de alergias. Nesses exemplos os suplementos alimentares podem ajudar a obter os nutrientes que ficaram faltando. Então, o que queremos dizer, é que os suplementos alimentares ajudam a incrementar a sua dieta para a manutenção de uma nutrição completa, quando certos nutrientes acabam ficando ausentes na sua alimentação habitual.

A suplementação pode diminuir os riscos de doenças crônicas

Suplementos alimentares podem ser vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos graxos e outras substâncias, que podem aparecer em forma de comprimidos ou gel-cápsulas, bem como pós que são adicionados à água. Outros suplementos alimentares incluem as famosas barrinhas e as batidas, que em muitos casos também são utilizados para ajudar na perda de peso. Essa combinação entre uma dieta saudável e suplementos para garantir as necessidades nutricionais diárias, podem diminuir os riscos de doenças crônicas.

Também estão incluídos como suplementos alimentares aqueles utilizados para ajudar em treinamentos físicos, principalmente os de alta performance e resistência. O exemplo clássico são os carboidratos utilizados para repor energia tanto antes como depois das atividades.

Fique atento!

É importante entendermos para que serve a suplementação alimentar, pois essa prática não substitui as refeições e lanches saudáveis. A melhor atitude que você pode tomar é consultar um médico ou nutricionista antes de fazer por conta própria qualquer tipo de suplementação.

Os mais comuns

Os mais comuns são as multivitaminas, que incluem vitaminas A, complexo B, C e E, bem como importantes minerais como zinco e ferro. Você pode precisar apenas de um único suplemento se for deficiente em um nutriente. Exemplos incluem ferro, vitamina C ou vitamina B-12.

Os principais grupos de suplementos alimentares são: carboidratos, proteínas, aminoácidos, e os substitutos de refeição.

Outros tipos

Existem outros tipos de suplementos que não oferecem valor nutricional. Chás, ervas e outros ingredientes botânicos não devem substituir os nutrientes regulares. Preste atenção e tome cuidado. Leia muito bem os rótulos e sempre desconfie dos que são comercializados como métodos de prevenção de doenças, sem qualquer evidência que sustente essas alegações. Estes produtos não contêm nutrientes essenciais e não se enquadram como suplementos alimentares eficazes.

Cuidado nunca é demais

Suplementos alimentares podem ajudar, mas também existe a chance de que façam mal. A overdose é uma preocupação frequente. Muita vitamina A por exemplo pode causar perda óssea, enquanto grandes doses de cálcio podem aumentar os riscos de câncer de próstata nos homens.

Repetindo: no caso de interesse e fazer uso da suplementação alimentar, o mais aconselhável é buscar a opinião de um especialista antes de começar. Procure o seu médico nutricionista. Ele é o mais indicado para determinar suas necessidades alimentares atuais.

Suplementação Alimentar na Legislação Brasileira

Em 27 de julho de 2018 foi publicado pela Anvisa um novo marco legal com novas regras para a suplementação alimentar no Brasil. A nova regulamentação traz mais clareza para o consumidor e busca eliminar alegações feitas sem comprovação científica.

É esperado também que a modernização da regulamentação diminua os obstáculos para comercialização e inovação do setor, e também que melhore o controle sanitário e a gestão do risco desses produtos.

Conforme publicado pela Anvisa, todos os produtos farmacêuticas destinados a suplementar com nutrientes a alimentação de pessoas saudáveis, substâncias bioativas, enzimas ou probióticos, deverão ser enquadrados como suplementos alimentares e atender regras específicas de composição e de rotulagem.

Segurança e eficácia

Foram criadas listas positivas que contemplam 383 ingredientes fontes de nutrientes, substâncias bioativas ou enzimas, 249 aditivos alimentares e 70 coadjuvantes de tecnologia autorizados como suplementos, que serão atualizadas de forma periódica, desde que sejam demonstradas a segurança e a eficácia dos constituintes.

Também foram adotados limites mínimos e máximos para as quantidades de nutrientes, substâncias bioativas e enzimas para diferentes grupos populacionais, de forma a garantir que os suplementos forneçam quantidades significativas de constituintes sem oferecer risco à saúde dos consumidores.

Os benefícios à saúde que podem ser veiculados nos rótulos desses produtos também foram definidos em lista positiva, sujeita à atualização periódica. Foram autorizadas 189 alegações. Os produtos que já estão no mercado tem o prazo de cinco anos para se adequarem às novas regras, já que são produtos seguros e autorizados pela Agência. Os novos produtos devem se adequar imediatamente.

O novo marco legal para suplementos alimentares é formado por seis normas. Conheça e saiba mais acessando publicação do site da Anvisa.


Leia também:

Então, entendeu qual é o conceito e para que serve a suplementação alimentar? Essa é apenas uma introdução bem objetiva. Vamos aprofundar muito sobre esse tema nessa sessão do nosso site.

Acompanhe as próximas publicações e fique por dentro. Deixe abaixo sua opinião, comentário, sugestão sobre o assunto. Vamos nos ajudar compartilhando nossas experiências.


IMAGENS:
Destaque: por Gustavo Appel
Imagem 2 (cápsulas gelatinosas): por Buntysmum de Pixabay
Imagem 3 ( cápsulas gelatinosas saindo de um frasco): por stevepb de Pixabay

Sair da versão mobile