A importância da música na vida das pessoas

 A importância da música na vida das pessoas

No dia a dia nem paramos para pensar sobre essa questão, pois é tão natural, faz parte de nós, que nem nos damos conta, mas a música está presente de uma maneira muito especial e importante. Nessa publicação vamos entender melhor o papel da música em nossas vidas.

Qual será a importância da música na vida das pessoas? Você já parou para pensar sobre isso? Talvez nunca tenha pensado nisso, que a música é importante, que ela tem um papel fundamental, que ela faz parte da nossa essência.



Pois é, isso mesmo, a música faz parte da nossa essência. O ser humano por natureza é um ser musical, e isso vai além de aptidão musical. Não importa se você tem ou não aptidão musical para ser um músico, tocar um instrumento, ter ritmo, ou ainda saber dançar, não importa, você é um ser musical independente disso.

Um pouco de história

Antes de falarmos sobre a importância da música na vida das pessoas, vamos conhecer um pouco da sua origem e da sua história? Muito interessante conhecer um pouco de como o homem se apropriou dessa essência e a transformou ao longo do tempo, influenciando gerações e moldando o que conhecemos hoje.

Existem inúmeras teorias sobre quando e onde a música se originou. Porém, muitos historiadores pensam que a música existia antes mesmo do homem existir. Mesmo assim, os historiógrafos apontam que existem seis períodos da música e cada período tem um estilo particular que contribuiu significativamente para o que a música é hoje.

Idade Média

Vai do século VI ao século XVI, apresentou música medieval. As principais formas de música incluíam canto gregoriano e cantochão.

Renascimento

No século XVI o domínio da Igreja sobre as artes enfraqueceu, e os compositores foram capazes de realizar muitas mudanças na forma como a música era criada e percebida. Os músicos da época começaram a usar mais instrumentos e criaram formas musicais mais elaboradas.



Barroco

Compreende os estilos dos séculos XVII e XVIII. O alto período barroco durou de 1700 a 1750. Nesse período os compositores experimentaram formas, contrastes musicais, estilos e instrumentos. Foi nele o desenvolvimento da ópera e da música instrumental. Em destaque o violino, viola, contrabaixo, harpa e oboé.

Clássico

Vai de 1750 a 1820, quando a classe média passou a ter mais acesso à música, levando os compositores a buscar melodias e formas mais simples, como as sonatas, músicas menos complicadas e fáceis de entender. O piano foi o principal instrumento. Mozart escreveu sua primeira sinfonia e Beethoven nasceu durante este período.

Romântico

Definido entre 1800 e 1900, a música era usada para contar uma história ou expressar uma ideia. As melodias tornaram-se mais completas e dramáticas. Foram incluídos o uso de vários instrumentos, como os de sopro. Os instrumentos inventados ou aprimorados nessa época incluem a flauta e o saxofone.

Século XX

Surgem muitas inovações na forma como a música era executada e apreciada. Os artistas estavam mais dispostos a experimentar novas formas musicais e usaram a tecnologia para aprimorar suas composições. Os primeiros instrumentos eletrônicos incluíam o dinamofone, Theremin e Ondes-Martnot. Os estilos musicais incluíam o impressionista, sistema de 12 tons, neoclássico, jazz, música de concerto, serialismo, música casual, música eletrônica, novo romantismo e minimalismo.



A importância da música na vida das pessoas
Música pode fazer você se sentir feliz, calmo ou animado.

Música como gatilho de emoções

Continuando a entender qual a importância da música na vida das pessoas, você já se deu conta que quando se ouve uma música em particular é possível trazer de volta uma memória especial ou fazer você se sentir feliz, calmo ou animado?

As pessoas nascem com a capacidade de distinguir entre música e ruído. Nossos cérebros, na verdade, têm diferentes caminhos para processar diferentes partes da música, incluindo altura, melodia, ritmo e andamento. E, a música rápida pode realmente aumentar sua frequência cardíaca, respiração e pressão arterial, enquanto música mais lenta tende a ter o efeito oposto.

Embora os efeitos da música nas pessoas não sejam totalmente compreendidos ainda, estudos mostram que, quando você ouve música que gosta, o cérebro realmente libera uma substância química chamada dopamina, que tem efeitos positivos no humor. A música pode nos fazer sentir emoções fortes, como alegria, tristeza ou medo, também tem o poder de nos mover. Segundo alguns pesquisadores, a música pode também melhorar nossa saúde e bem-estar.

Música e os benefícios a saúde
Ouvir música pode ter muitos efeitos positivos para a saúde.

Benefícios da música para saúde

Embora mais estudos sejam necessários para confirmar os benefícios potenciais da música para a saúde, alguns estudos sugerem que ouvir música pode ter muitos efeitos positivos para a saúde.

Abaixo relacionamos alguns dos possíveis efeitos positivos da música sobre a nossa saúde:

Melhora o humor

Estudos mostram que ouvir música pode beneficiar o bem-estar geral, ajudar a regular as emoções e criar felicidade e relaxamento na vida cotidiana.



Reduz o estresse

Ouvir música “relaxante” (geralmente considerada de ritmo lento, tom baixo e sem letra) mostrou reduzir o estresse em pessoas saudáveis ​​e em pessoas submetidas a procedimentos médicos

Diminui a ansiedade

Evidências indicam que ouvir música pode ajudar a acalmar em situações que podem deixar as pessoas ansiosas. Em estudos com pessoas com câncer, ouvir música combinada com o tratamento reduziu a ansiedade em comparação com aqueles que receberam apenas o tratamento padrão.

Atenua efeitos da depressão

Estudos de 2017 concluíram que ouvir música, principalmente clássica combinada com jazz, teve efeito positivo nos sintomas de depressão, especialmente quando havia várias sessões de audição conduzidas por musicoterapeutas certificados. Sessões de percussão em grupo também apresentaram benefícios acima da média para pessoas que lidavam com depressão.

Melhora o aprendizado

A música pode atuar como estimulante para o aprendizado e fazer as pessoas aprenderem mais. Em estudos recentes, as pessoas ficaram mais motivadas para aprender quando esperavam ouvir uma música como recompensa.

Melhora a atividade física

Estudos sugerem que a música pode melhorar o exercício aeróbico, aumentando o estímulo mental e físico, melhorando o desempenho geral. Treinar ouvindo música melhora o humor, ajuda o corpo a se exercitar com mais eficiência e reduz a consciência do esforço. Se exercitar com música também leva a treinos mais longos.

Melhora a memória

Pesquisas mostraram que os elementos repetitivos do ritmo e da melodia ajudam nosso cérebro a formar padrões que aumentam a memória. Em um estudo com sobreviventes de derrame, ouvir música os ajudou a ter mais memória verbal, menos confusão e maior foco na atenção.

Alivia a dor

Musicoterapeutas especialmente treinados usam a música para ajudar a aliviar a dor em ambientes hospitalares e ambulatoriais. Em estudos com pacientes em recuperação de cirurgia, aqueles que ouviram música antes, durante ou após a cirurgia tiveram menos dor e mais satisfação geral em comparação com pacientes que não ouviram música como parte de seus cuidados.

Oferece conforto

A musicoterapia também tem sido usada para ajudar a melhorar a comunicação, o enfrentamento e a expressão de sentimentos como medo, solidão e raiva em pacientes com doenças graves e que estão em tratamento de fim de vida.

Melhora a cognição

Ouvir música também pode ajudar as pessoas com Alzheimer a relembrar memórias aparentemente perdidas e até mesmo ajudar a manter algumas habilidades mentais.

Ajuda a tratar doenças mentais

A música literalmente muda o cérebro. Pesquisadores neurológicos descobriram que ouvir música desencadeia a liberação de vários compostos neuroquímicos que desempenham um papel na função cerebral e na saúde mental. Embora mais pesquisas precisem ser feitas, alguns estudos sugerem que a musicoterapia pode melhorar a qualidade de vida e a conexão social para pessoas com esquizofrenia.



Ajuda crianças com autismo

Estudos de crianças com transtorno do espectro do autismo que receberam musicoterapia mostraram melhora nas respostas sociais, habilidades de comunicação e habilidades de atenção.

Acalma bebês prematuros

Música ao vivo e canções de ninar podem afetar os sinais vitais, melhorar o comportamento alimentar e os padrões de sucção em bebês prematuros.

Ajuda na saúde do coração

A música pode fazer você querer se mover e dançar, com isso, dependendo da intensidade e do ritmo da música, pode alterar sua frequência respiratória, sua frequência cardíaca e sua pressão arterial, o que beneficia a saúde do coração.

Leia também:

A música faz você se mexer.
A música é importante para a vida social, para os sentimentos e a imaginação.

Benefícios da música para a vida

Fora os benefícios potenciais da música especificamente sobre a saúde, a importância da música na vida das pessoas está no dia a dia, no convívio social, nos sentimentos, no aguçar da imaginação. Como vimos mais acima, a música funciona como gatilho para emoções diversas.

É linguagem universal

Embora cada país tenha seu próprio idioma, a música funciona como um idioma universal, que todos entendem. Não são necessárias as palavras para entender o que a música está dizendo. Todos os anos, muitas pessoas diferentes, de todas as partes do mundo, participam de festivais de música. Quando a música começa todos parecem entender o que está saindo dos alto-falantes e simplesmente começam a dançar.

Cria ambientes

A música cria o ambiente. A música é de suma importância e está em tudo que fazemos. Você consegue imaginar uma festa, um evento esportivo, um filme sem música? Imagine. Impensável, não é?

Aproxima as pessoas

A música desempenha um papel muito importante na aproximação das pessoas. Quer seja um festival, concerto ou uma noite de bar, festa, ou balada, as pessoas se reúnem para curtir a música que está sendo tocada.

Mexe com as emoções

Se você quer se sentir feliz, pode ouvir músicas alegres, e isso também funciona ao contrário. Quando você perde alguém em sua vida, é útil ouvir músicas tristes. A ciência diz que ouvir músicas tristes pode realmente deixar você mais feliz. Pode fazer você chorar e assim aliviar a dor da perda.

Estimula a imaginação

A música deixa sua imaginação fluir e isso é obviamente uma coisa boa para sua criatividade. Quem nunca “viajou” longe inspirado por alguma música que está ouvindo, como se ela te levasse para outro lugar.

É apenas entretenimento e prazer

Por fim, escutamos música simplesmente porque sentimos prazer, porque nos faz bem, nos faz sorrir, faz lembrar de um lugar, de algo, ou de uma pessoa amada, ou ainda simplesmente faz fundo para nossa rotina. Com isso queremos mais música, e sem perceber estamos consumindo música, e a música está diariamente presente em nossas vidas.

A importância da música na vida das pessoas.
A música tem um papel muito importante em nossas vidas.

Música para todos

Enquanto exploramos nesse artigo a importância da música na vida das pessoas, verificamos que a música é saúde e entretenimento, e tem um papel muito importante em nossas vidas. Faz parte da nossa essência desde o início da nossa história. Ela desenvolve nosso cérebro e as habilidades associadas a ele. Ajuda no desenvolvimento motor, na atividade física e no aprendizado, tanto de crianças, como adultos e idosos.

A música auxilia na melhora do bem-estar geral, no humor, ansiedade e depressão. A musicoterapia também ajuda no tratamento de doenças. A música é muito benéfica para todos nós e deve ser incluída na vida diária de todos.

Ouça mais música!


IMAGENS:
Destaque: por sweetlouise de Pixabay
2 – imagem casal curtindo música: por OmarMedinaFilms de Pixabay
3 – imagem público em um show: por Free-Photos de Pixabay
4 – imagem casal idosos dançando: por ArtTower de Pixabay
5 – imagem jovem ouvindo música rádio: por StockSnap de Pixabay



EuPOSSOmudar

EuPOSSOmudar

O EuPOSSOmudar tem como propósito informar, esclarecer, elucidar, inspirar, debater, apresentar conteúdos atuais e confiáveis, relacionados a saúde, alimentação, bem-estar, exercícios, suplementação e comportamento, para que você possa refletir, analisar e decidir por promover mudanças em seus hábitos rotineiros em busca de uma melhor qualidade de vida, saúde, satisfação pessoal, para assim ser mais feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − quatro =