Logo EuPOSSOmudar
Sempre é tempo de mudar...

Mais tempo gasto ao ar livre leva a um futuro mais sustentável?

 Mais tempo gasto ao ar livre leva a um futuro mais sustentável?
21 de Novembro de 2021 por Justin Meacock

Um estudo recente sobre os hábitos de vida de 24.000 britânicos revela as ligações complexas entre o meio ambiente e a saúde humana.

Muitos de nós somos viciados em televisão, e os especialistas em saúde há muito aconselham exercícios, especialmente ao ar livre. Mas se mais pessoas gastassem mais tempo ao ar livre, isso poderia trazer outros benefícios adicionais? Poderia ser uma forma de ajudar a alcançar maior sustentabilidade, conservação e proteção ambiental? Tudo isso, é claro, enquanto beneficia o indivíduo tanto física quanto mentalmente. 



Quanto mais natureza melhor

Apresentar o ar livre para aqueles que normalmente não o experimentam, tem na verdade, muitos benefícios comprovados para o indivíduo e o planeta. Para o planeta, as pessoas que passam mais tempo ao ar livre tendem a ser mais conscientes do ponto de vista ambiental. Com pessoas mais ambientalmente conscientes, hábitos mais ambientalmente sustentáveis ​​são praticados.

Quanto mais exposição à natureza você tiver em sua vida diária, maior será a probabilidade de você se comportar de maneira ecologicamente correta, como reciclar, andar de bicicleta, comprar produtos ecológicos e ser voluntário em projetos ambientais. 

Embora a conexão possa soar como senso comum, nunca foi explorada além de experimentos em pequena escala até que uma equipe de pesquisadores do Centro Europeu para o Meio Ambiente e Saúde Humana (ECEHH) examinou mais de perto os hábitos de 24.000 britânicos. O que eles descobriram foi que, não importa onde você mora, se você passa tempo ao ar livre em parques, bosques ou praias, ou se vive em uma área florestal, estará mais inclinado a valorizar o mundo natural. Se as pessoas e as crianças puderem ser apresentadas ao ar livre mais cedo, tanto o planeta quanto o indivíduo podem começar a colher as recompensas mais cedo.

Mais tempo ao ar livre para um futuro melhor
Com pessoas mais ambientalmente conscientes, hábitos mais ambientalmente sustentáveis ​​são praticados.

Muitos benefícios

A atividade ao ar livre tem muitos benefícios para crianças e adultos. Primeiro, pode melhorar a saúde mental de um indivíduo. Ficar ao ar livre entre as árvores e a natureza, conforme comprovado pela pesquisa do ECEHH, reduz a ansiedade, reduz os níveis de cortisol, acalma o sistema nervoso, reduz a depressão, desperta a criatividade e aguça a memória. 

Pense na Natureza como um ginásio facilmente acessível. Com o acesso mais fácil, vem mais atividade física, reduzindo assim os efeitos de estilos de vida pouco saudáveis ​​e os custos e efeitos colaterais associados. Para as crianças, sair na natureza também é benéfico tanto física quanto mentalmente, pois ajuda a diminuir o índice de massa corporal e a queimar o excesso de energia, com o resultado positivo de fortalecer os ossos e músculos em desenvolvimento. Mentalmente, sair de casa ajuda na concentração, autoestima, criatividade, habilidades sociais e diminui os sintomas associados ao TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). Tudo isso ao mesmo tempo em que desenvolve amor e respeito pelo meio ambiente.



Se mais cedo as crianças e os jovens passam mais tempo ao ar livre, pode inspirar as gerações futuras a contribuir para a energia sustentável e indústrias ambientalmente conscientes. Muitos daqueles que lucram diretamente com a perfuração de petróleo, fraturamento hidráulico e produção industrial nunca visitaram ou passaram algum tempo na terra diretamente impactada por suas ações.

Mais tempo ao ar livre para um futuro melhor
A atividade ao ar livre tem muitos benefícios para crianças e adultos.

Tendência positiva

Uma tendência positiva que saiu da pandemia de COVID é o aumento das atividades ao ar livre e, portanto, de hábitos mais ecológicos.

Muitos mais americanos fizeram caminhadas em 2020 em comparação com 2019 – 8,1 milhões a mais, de acordo com uma prévia de um relatório de participação ao ar livre da Outdoor Foundation, o braço filantrópico da Outdoor Industry Association. Ele descobriu que mais 7,9 milhões acamparam no ano passado e mais 3,4 milhões participaram da pesca em água doce. 

A pesquisa da fundação também descobriu um declínio na inatividade para a maioria das faixas etárias e em todos os níveis de renda. Em 2020 houve alta de 52,9% na participação outdoor, depois de 50,5% em 2018 e 50,7% em 2019. A expectativa é de que a tendência de alta continue nos próximos meses de inverno entre as estações de esqui que tiveram o aumento da demanda como forma de escape por causa da COVID.



Conhecer para valorizar

As pessoas devem estar familiarizadas com o mundo natural e apreciá-lo para perceberem o que precisa ser protegido. O mesmo é especialmente verdadeiro para crianças, cujas infâncias estão cada vez mais protegidas da exploração natural e, no entanto, precisam desesperadamente dessa exposição para se tornarem os guardiões ambientais do futuro.

Em Yonkers, um subúrbio da cidade de Nova York, programas como o Hudson River Riders fornecem ao público Yonkers que vive em um ambiente predominantemente urbano uma oportunidade de entrar na água. Isso permite que os residentes apreciem os benefícios da beleza da natureza tanto física quanto mentalmente. Ele apresenta ao público local o que eles têm à sua disposição e como isso pode ser benéfico. 

Mais tempo ao ar livre para um futuro melhor

Falei com Chevaughn Dixon, o diretor de programas. Ele compartilhou comigo os benefícios que a população local e as crianças receberam no programa. Crianças que antes tinham mau comportamento na escola, abusavam de substâncias ou nem iam à escola, idolatrando maus influenciadores, agora encontraram um senso de comunidade andando de caiaque no rio Hudson, usando os caiaques colocados livremente à sua disposição. Elas não teriam pensado em aproveitar esses benefícios naturais gratuitos sem o programa. 

Amor pela natureza

Além disso, além dos benefícios físicos e terapêuticos sentidos pelos jovens, ele disse que surgiu um forte e diversificado senso de comunidade que se desenvolveu quando crianças e jovens adultos estavam na água em contato direto por períodos prolongados com profissionais como médicos e advogados, todos compartilhando o mesmo amor pela natureza.

Programas como esse são modelos que outras cidades podem implementar e expandir aproveitando as belezas naturais disponíveis localmente. Ao mesmo tempo, educar o público a manter e respeitar a natureza, e criar comunidades mais saudáveis ​​e diversificadas por meio de maior valorização, respeito e compreensão do ambiente natural, tudo isso enquanto se beneficiam dele.





Justin Meacock – Nascido e criado em Nova York, Justin serviu quatro anos na Marinha dos Estados Unidos. Em seguida, cursou Relações Internacionais e Marketing. Ele agora está interessado em continuar seus estudos em Jornalismo. Sempre um amante da vida ao ar livre e preocupando-se com o meio ambiente e um estilo de vida sustentável, Justin adora aprender e compartilhar sobre as tecnologias emergentes e oportunidades de negócios que beneficiam o meio ambiente, a economia e o indivíduo. Atualmente é estagiário da Impakter.

Este artigo foi republicado de IMPAKTER.COM. Leia o artigo original.


Leia também:


IMAGENS:
Destaque: por skitterphoto de Pixabay
2 – Natureza/árvores: por fietzfotos de Pixabay
3 – Passeio com cachorro: por furry_portraits de Pixabay
4 – Caiaques: por bones64 de Pixabay



EuPOSSOmudar

O EuPOSSOmudar tem como propósito informar, esclarecer, elucidar, inspirar, debater, apresentar conteúdos atuais e confiáveis, relacionados a saúde, alimentação, bem-estar, exercícios, suplementação e comportamento, para que você possa refletir, analisar e decidir por promover mudanças em seus hábitos rotineiros em busca de uma melhor qualidade de vida, saúde, satisfação pessoal, para assim ser mais feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − 9 =