Os cuidados com a saúde mental

 Os cuidados com a saúde mental

O mundo moderno por si só já dá motivos de sobra para o estresse e crises de ansiedade. Em tempos de pandemia e de isolamento social então, nem se fala. Diante dessa realidade existe uma grande preocupação com a saúde mental das pessoas. Confira nessa publicação o que se entende por saúde mental, quais os sinais de que as coisas não estão bem e como você pode cuidar da sua.

O que é saúde mental?

Nessa publicação tratamos sobre os cuidados com a saúde mental, que conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), a boa saúde mental está relacionada ao bem-estar mental e psicológico. “A saúde mental é um estado de bem-estar no qual um indivíduo realiza suas próprias habilidades, pode lidar com o estresse normal da vida, pode trabalhar produtivamente e é capaz de contribuir com sua comunidade”.

A OMS enfatiza que a saúde mental é “mais do que apenas a ausência de transtornos ou deficiências mentais”, é também cuidar do bem-estar e da felicidade de forma contínua.



É como as pessoas pensam, sentem e se comportam. O termo “saúde mental” também pode ser empregado como significado de ausência de um distúrbio mental. A saúde mental pode afetar a vida diária, os relacionamentos e a saúde física.

Ajuda a determinar como lidamos com o estresse, com os relacionamentos e como fazemos escolhas. Os cuidados com a saúde mental são importantes em todas as fases da vida.

Fatores de risco para a condição da saúde mental

Todas as pessoas correm risco de desenvolver algum tipo de distúrbio de saúde mental durante a vida, isso independentemente do gênero, idade, classe social, renda, etnia etc.

A boa saúde mental depende de um equilíbrio de fatores. Vários elementos da vida, do cotidiano e do mundo em geral podem contribuir com os distúrbios. Os distúrbios podem ser causados ​​por eventos estressantes, como perda de emprego, luto ou problemas de dinheiro. Esses sentimentos podem ser intensos, mas temporários. Com o apoio certo e ajuda é possível buscar à recuperação.

Os distúrbios mais comuns

Infelizmente algumas pessoas terão problemas mais graves em relação a sua saúde mental. Essa evolução e agravamento da condição mental geralmente ocorre com mudanças graduais que podem não ser percebidas. As pessoas podem começar a apresentar um comportamento diferente do habitual, começar a ter pensamentos ou crenças que não tinham antes.

Os tipos mais comuns de distúrbios mentais podem ser organizados em três grupos:

  • Transtornos de ansiedade
  • Transtornos de humor
  • Distúrbios da esquizofrenia

Transtornos de ansiedade

É normal todos nós termos sentimentos de ansiedade, preocupações e medo às vezes. São respostas normais a determinadas situações. Como exemplos, podemos nos preocupar com uma entrevista de emprego, com o pagamento de uma conta, a realização de uma prova, uma audiência na justiça, uma reunião, entre outras tantas situações normais da vida. Essas preocupações ativam nossa consciência sobre os riscos e do que é preciso fazer em um momento difícil ou de perigo.



O cérebro responde a essas preocupações, ameaças ou perigo, liberando hormônios do estresse, como adrenalina e cortisol. Mesmo que essa ameaça seja apenas imaginária, esses hormônios causarão os sintomas físicos da ansiedade. Depois que a situação ameaçadora passa, nosso corpo geralmente retorna ao estado normal.

Mas se essa condição evoluir para um distúrbio de ansiedade, esses sentimentos de medo, ameaça e perigo podem ser contínuos, interrompendo a rotina diária normal, mesmo após a ameaça ter desaparecido. Eles podem criar uma sensação de que as coisas são piores do que realmente são.

As pessoas com essa condição apresentam medo ou ansiedade severos, relacionados a certos objetos ou situações. A maioria das pessoas com transtorno de ansiedade tentará evitar a exposição ao que quer que provoque sua ansiedade.

Exemplos de transtornos de ansiedade incluem:

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)

É uma preocupação desproporcional que atrapalha a vida cotidiana. Pessoas com TAG podem experimentar ansiedade excessiva ao encontrar situações cotidianas que não apresentam um perigo direto, como tarefas domésticas ou compromissos. Para essas pessoas, um surto de sintomas de ansiedade não precisa necessariamente de um gatilho específico.



Podem surgir sintomas físicos como inquietação, cansaço extremo, fadiga, músculos tensos, sono interrompido, respiração pesada e rápida, boca seca, tremores, perda de cabelo, taquicardia, tonturas, desmaios, dores de estômago.

Transtornos do pânico

Pessoas com transtorno do pânico sofrem ataques regulares de pânico, que envolvem um terror repentino e avassalador ou uma sensação de desastre iminente e morte. A condição ocorre quando uma pessoa sofreu vários ataques de pânico e vive com medo de ter outro ataque de pânico. Enquanto todos podem experimentar um ataque de pânico durante a vida, aqueles com transtorno do pânico sofrem ataques recorrentes.

O medo de sofrer outro ataque pode fazer com que as pessoas evitem amigos e familiares, tenham medo de sair de casa e de estar em locais públicos. Um transtorno do pânico pode afetar gravemente a qualidade de vida e por isso deve ser tratado.

Fobias

Uma fobia é um tipo de transtorno de ansiedade que faz com que uma pessoa experimente um medo irracional extremo sobre uma situação, criatura viva, lugar ou objeto. São profundamente pessoais e os médicos não conhecem todos os tipos. Pode haver milhares de fobias. O que parece incomum para uma pessoa pode ser um problema grave que domina a vida cotidiana de outra.

Quando uma pessoa tem fobia, normalmente molda sua vida para evitar o que considera perigoso. A ameaça imaginada é maior do que qualquer ameaça real representada pela causa do terror. Apesar de ter consciência de que sua fobia é irracional, não consegue controlar a reação do medo. Fobias são distúrbios mentais diagnosticáveis.



Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)

É uma condição de saúde mental caracterizada por pensamentos angustiantes, intrusivos, obsessivos e atos físicos ou mentais repetitivos e compulsivos. Em outras palavras, pessoas com TOC experimentam pensamentos constantes e estressantes, e um poderoso desejo de realizar atos repetitivos, como lavar as mãos.

Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT)

Pode ocorrer após uma pessoa experimentar ou testemunhar um evento altamente estressante ou traumático. Durante esse tipo de evento, a pessoa pensa que sua vida ou a vida de outros está em perigo. Pode sentir medo ou não ter controle sobre o que está acontecendo. Essas sensações de trauma e medo podem então contribuir para o TEPT.

Pode ter efeitos a longo prazo, incluindo flashbacks, dificuldade para dormir e ansiedade. Exemplos de eventos que podem funcionar como gatilho para o transtorno de estresse pós-traumático incluem guerras, crimes, incêndios, acidentes, morte de um ente querido ou abuso de alguma forma. Pensamentos e memórias se repetem mesmo que o perigo tenha passado.

Transtornos de humor

As pessoas também podem se referir a transtornos do humor como transtornos afetivos ou transtornos depressivos. Indivíduos com essas condições apresentam mudanças significativas de humor, geralmente envolvendo manias, com momentos de pico de alta energia e exaltação ou depressão.

Exemplos de transtornos do humor mais comuns incluem:

Depressão maior

Humor baixo constante, perda de interesse por atividades que gostava, tristeza por períodos prolongados.

Transtorno bipolar

Mudanças incomuns de humor, de energia, de níveis de atividade e capacidade de continuar com a vida diária.

Transtorno afetivo sazonal

Tipo de depressão que vai e vem com as estações do ano, geralmente começando no início do inverno e desaparecendo durante a primavera e o verão.

Distúrbios da esquizofrenia

A esquizofrenia é uma doença mental que afeta a maneira de pensar. Os sintomas podem afetar a maneira como a pessoa lida com a vida cotidiana. As autoridades e os especialistas em saúde mental ainda estão tentando determinar se a esquizofrenia é um distúrbio único ou um grupo de doenças relacionadas. É uma condição altamente complexa.

Tem sintomas negativos e positivos. Os sintomas positivos incluem delírios, distúrbios do pensamento e alucinações. Os sintomas negativos incluem abstinência, falta de motivação e um humor plano ou inadequado.

Cerca de uma em cada cem pessoas desenvolverá esquizofrenia. Costuma se desenvolver durante a idade adulta jovem. Durante o estágio inicial da doença, o sono, as emoções, motivações, comunicação e a capacidade de pensar com clareza podem mudar.



Alguns dos sintomas mais comuns presentes em casos de esquizofrenia:

  • Delírios e alucinações;
  • Pensamentos desorganizados;
  • Falta de motivação;
  • Falta de expressão facial;
  • Lentidão nos movimentos;
  • Dificuldade de concentração;
  • Mudanças no padrão do sono;
  • Falta de higiene;
  • Mudanças na linguagem corporal e nas emoções.

Sinais de que as coisas podem não estar bem

Não existem testes físicos ou exames que indiquem de forma confiável se uma pessoa desenvolveu uma doença mental. No entanto, as pessoas devem observar os seguintes possíveis sinais de um distúrbio de saúde mental:

  • Se afastar de amigos, familiares e colegas;
  • Evitar atividades que normalmente desfrutaria;
  • Ansiedade e irritação frequentes;
  • Dormir muito ou pouco;
  • Comer muito ou pouco;
  • Sentimento de desesperança;
  • Energia constantemente baixa;
  • Humor baixo por um longo tempo;
  • Usar substâncias que alteram o humor com mais frequência, como álcool e cigarro;
  • Demonstrar emoções negativas;
  • Comportamento confuso;
  • Sentir-se choroso;
  • Achar difícil se concentrar ou lembrar das coisas;
  • Não conseguir concluir tarefas diárias, como chegar ao trabalho ou preparar uma refeição;
  • Pensamentos ou memórias persistentes que reaparecem regularmente;
  • Ver coisas e/ou ouvir vozes;
  • Suspeitar de tudo e se tornar paranoico;
  • Experimentar delírios ou alucinações;
  • Acreditar que a família e amigos querem fazer mal;
  • Que pessoas ou organizações estão à sua procura;
  • Acreditar que tem poderes especiais ou está em uma missão;
  • Ter gastos e problemas excessivos ao gerenciar seu dinheiro;
  • Pensar em causar danos físicos a si mesmo ou aos outros;
  • Pensamentos suicidas.
Mantenha hábitos saudáveis para preservar sua saúde mental.
Mantenha hábitos saudáveis para preservar sua saúde mental.

Sugestões para você preservar a sua saúde mental

Abaixo relacionamos dicas e sugestões para você manter os cuidados com a saúde mental.

Coma saudável

Como já vimos aqui no nosso site, se alimentar de forma saudável não é bom apenas para o corpo, mas também para a mente. Certas deficiências de minerais, como ferro e vitamina B12, podem nos deixar de mau humor. Tente manter uma dieta variada e equilibrada para evitar deficiências de nutrientes.

Leia no nosso site:

Busque a luz solar

Como você já sabe, a luz do Sol é uma ótima fonte de vitamina D, que é muito importante para o corpo e o cérebro. Ajuda nosso cérebro a liberar substâncias químicas que melhoram o humor, como endorfinas e serotonina. Mesmo estando mais em casa, tente se expor ao Sol com frequência. Procure horários seguros como início da manhã e final da tarde. Mantenha a pele e os olhos seguros. O ideal é de 30 minutos a duas horas por dia de luz solar. Durante o inverno, algumas pessoas ficam deprimidas porque não recebem luz solar suficiente, depressão conhecida como Transtorno Afetivo Sazonal (SAD) como visto mais acima.

Durma o suficiente

O sono é realmente importante para a nossa saúde física e mental. Sua função essencial é o restauro metabólico do cérebro, processo fisiológico essencial para a nossa boa saúde e bem-estar. O sono ajuda a regular as substâncias químicas em nosso cérebro que transmitem informações, que também são importantes no gerenciamento de nosso humor e emoções. Se não dormirmos o suficiente, começamos a ficar deprimidos, mais ansiosos, com dificuldades de memória e de concentração.

Faça alguma atividade física

A atividade física é essencial para manter uma boa saúde mental. Se manter ativo proporciona a sensação de conquista, e aumenta a produção de substâncias químicas no cérebro que ajudam para o bom humor. O exercício pode ajudar a eliminar o mau humor, a ansiedade, o estresse, a sensação de cansaço e preguiça. Você não precisa correr uma maratona. Uma caminhada curta ou outra atividade leve pode ajudar muito e são melhores do que não fazer nenhum exercício.

Leia no nosso site:

Faça algo que você gosta

Tente reservar um tempo para você! Um tempo para fazer coisas que você gosta. Todo mundo tem algum talento. Invista nele! Invista em um hobby ou em algum projeto. Reserve um tempo para se divertir. Se não gastarmos tempo fazendo coisas que gostamos, podemos nos tornar irritados e infelizes.

Leia no nosso site:

Cerque-se de boas pessoas

Pessoas com fortes ligações familiares ou sociais são geralmente mais saudáveis ​​do que aquelas que não têm uma rede de apoio. Busque atividades em lugares onde você possa conhecer novas pessoas. Faça um curso, frequente um clube, participe de um grupo de interesse. Faça um esforço para manter bons relacionamentos e converse com as pessoas sempre que tiver chance. Ter amigos é importante não apenas para sua autoestima, mas também para fornecer apoio quando você não está se sentindo muito bem.

Faça coisas para os outros

Ajudar os outros não é bom só para as pessoas que você está ajudando, é bom para você também. Ajudar alguém pode melhorar sua autoestima e confiança, fazer você se sentir útil e com propósito. Fazer parte de uma comunidade é importante da sua saúde mental. Faça um serviço voluntário para alguma instituição, ou apenas ajude um vizinho.

Leia no nosso site:

Pegue leve com você e tranquilize sua mente

Trate-se com bondade e respeito. Evite a autocrítica. Pegue leve com você. Pratique a meditação. Exercícios de relaxamento e meditação podem melhorar seu estado de espírito e visão de vida. Pode fazer você se sentir calmo e em equilíbrio. Diminua o peso das responsabilidades sobre os seus ombros. Não se cobre tanto e poupe o seu cérebro.

Leia no nosso site:

Estabeleça metas realistas

Planeje-se em busca dos seus sonhos. Anote as etapas necessárias para atingir seus objetivos. Cumpra uma a uma. Você experimentará uma tremenda sensação de realização e valor próprio à cada passo avançado em direção a sua meta. Desfrute de cada etapa. Pense grande, mas seja realista. Não exagere no desejado e não estabeleça prazos impossíveis. Cuidado com o auto boicote. Não acrescente um estresse a mais a sua vida e a sua mente.

Quebre a monotonia

Embora gostemos da rotina, pois nos tornam mais eficientes e melhoram nosso sentimento de segurança, mudanças de ritmo e de caminhos podem animar um cronograma tedioso. Altere sua rota de corrida, planeje uma viagem, dê um passeio em um parque diferente, pendure algumas fotos novas ou experimente um novo restaurante. Provoque o seu cérebro de vez em quando fazendo algo diferente.

Gerencie o estresse

O estresse é algo inevitável, ainda mais nos dias de hoje. Com pandemia e isolamento social então, nem se fala. Saber o que desencadeia o estresse e saber lidar com isso é essencial para manter a boa saúde mental. Tente gerenciar suas responsabilidades e preocupações fazendo uma lista ou um cronograma para resolver cada problema. Essa é uma estratégia para quebrar suas preocupações e tensões, fazendo-o perceber que elas são administráveis.

Leia em nosso site:

Evite bebidas alcoólicas

Consumir bebidas alcoólicas não está sempre associado a sintomas de abstinência, mas pode causar alguns que afetam sua saúde mental. Beber em excesso pode te deixar mais deprimido e ansioso no dia seguinte, além de dificultar sua concentração. Por períodos prolongados pode causar deficiência de tiamina ou vitamina B1, muito importante para a função cerebral, que pode levar a problemas graves de memória, problemas motores, confusão e problemas oculares.

Pare de fumar

Os fumantes experimentam sensações de irritabilidade, ansiedade e depressão quando ficam por algum tempo sem fumar. Esses sentimentos são aliviados pelo ato de fumar, causando falsa percepção de benefícios psicológicos. O fumo crônico do tabaco está associado com neuro adaptações das vias de nicotina no cérebro, as quais estão associadas com a ocorrência de depressão, agitação e ansiedade logo após o ato de fumar. O fumo também pode causar a deficiência de tiamina ou vitamina B1.

Evite remédios e drogas

Outros medicamentos e drogas geralmente deixam você em abstinência e podem causar humor e ansiedade muito baixos. Efeitos mais graves das drogas incluem paranoia e delírios. Há pesquisas que sugerem que o uso de drogas está relacionado ao desenvolvimento de transtornos mentais como esquizofrenia.

Peça ajuda

Uma das maneiras mais importantes de manter os cuidados com a saúde mental, e de se manter mentalmente saudável, é reconhecer quando você não está bem e que é hora de pedir ajuda. Não há vergonha alguma em pedir apoio a alguém se você estiver se sentindo triste ou estressado. Todo mundo passa por momentos ruins onde não se sente tão bem quanto deveria. Você pode tentar falar com seus amigos ou familiares. Se achar que a situação é mais grave, busque ajuda de um médico ou atendimento especializado.

ATENÇÃO: No Brasil existe o CVV (Centro de Valorização da Vida), que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e voip 24 horas todos os dias. A ligação para o CVV em parceria com o SUS, por meio do número 188, é gratuita a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular. Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat.

Os cuidados com a saúde mental
Publicação: Os cuidados com a saúde mental.

Cuidados com a saúde mental durante a pandemia de COVID-19

Como dito no início dessa publicação, diante da situação atual do mundo, que está enfrentando uma pandemia, existe uma grande preocupação com os cuidados com a saúde mental das pessoas devido a mudança repentina de rotina e o isolamento social.

Medo, preocupação e estresse são respostas normais as ameaças percebidas ou reais, assim como quando estamos diante de incertezas ou do desconhecido. Então, é normal e compreensível que as pessoas estejam mais nervosas e sentindo medo diante da pandemia da COVID-19.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) vem trabalhando com um material especial fornecendo orientações, aconselhamento e apoio para as pessoas diretamente envolvidas; como médicos, profissionais da saúde, grupos de risco; mas também para o público em geral.

Abaixo algumas dicas e conselhos publicados pela OMS sobre os cuidados com a saúde mental nesses tempos de pandemia:

Mantenha-se informado

Siga as recomendações das autoridades locais. Acompanhe canais de notícias confiáveis. Mantenha-se atualizado com as últimas notícias da OMS (site e mídias sociais).

Tenha uma rotina

Mantenha as rotinas diárias o máximo possível ou crie novas:

  • Levante-se e vá para a cama em horários semelhantes todos os dias.
  • Mantenha a higiene pessoal.
  • Faça refeições saudáveis ​em horários regulares.
  • Exercite-se regularmente.
  • Separe o tempo para trabalhar e o tempo para descansar.
  • Reserve um tempo para fazer as coisas que você gosta.

Minimize os feeds de notícias:

Tente reduzir o quanto você assiste, lê ou ouve notícias que o fazem se sentir ansioso ou angustiado. Procure as informações mais recentes em horários específicos do dia, uma ou duas vezes por dia, se necessário.

O contato social é importante

Se seus movimentos forem restritos, mantenha contato regular com pessoas próximas a você por telefone e canais online.

Uso de álcool e drogas

Limite a quantidade de álcool que você bebe ou não beba. Não comece a beber álcool se você não tiver bebido álcool antes. Evite usar álcool e drogas como forma de lidar com o medo, a ansiedade, o tédio e o isolamento social.

Não há evidências de qualquer efeito protetor do consumo de álcool para infecções virais ou outras. De fato, o oposto é verdadeiro, pois o uso nocivo de álcool está associado ao aumento do risco de infecções e a piores resultados do tratamento.

E lembre-se de que o uso de álcool e drogas pode impedir você de tomar precauções suficientes para se proteger novamente da infecção, como a conformidade com a higiene das mãos.

Tempo de tela

Esteja ciente de quanto tempo você fica na frente da tela do computador, celular, tablet, todos os dias. Certifique-se de fazer intervalos regulares nas atividades para descansar os olhos e a atenção.

Videogames

Embora os videogames possam ser uma maneira de relaxar, pode ser tentador gastar muito mais tempo com eles do que o habitual em casa por longos períodos. Certifique-se de manter o equilíbrio certo com atividades off-line em sua rotina diária.

Mídia social

Use suas contas de mídia social para promover histórias positivas e esperançosas. Corrija as informações erradas onde quer que você as veja.

Ajude os outros:

Se puder, ofereça apoio às pessoas da sua comunidade que possam precisar, como ajudá-las nas compras de alimentos.

Apoie os profissionais de saúde: aproveite as oportunidades on-line ou através da sua comunidade para agradecer aos profissionais de saúde do seu país e a todos os que trabalham para responder à COVID-19.

Não discrimine: o medo é uma reação normal em situações de incerteza. Às vezes, porém, o medo é expresso de maneira prejudicial a outras pessoas. Lembre-se:

  • Seja amável. Não discrimine as pessoas por causa de seus medos com a disseminação da COVID-19.
  • Também não discrimine as pessoas que você acha que podem ter coronavírus.
  • Muito menos discrimine os profissionais de saúde. Os profissionais de saúde merecem nosso respeito e gratidão.
  • A COVID-19 afetou pessoas de muitos países. Não o atribua a nenhum grupo específico.

Política Nacional de Saúde Mental

A Política Nacional de Saúde Mental é uma ação do Governo Federal, coordenada pelo Ministério da Saúde, que compreende as estratégias e diretrizes adotadas pelo país para organizar a assistência às pessoas com necessidades de tratamentos específicos relacionados aos cuidados com a saúde mental.

Abrange a atenção as pessoas com necessidades relacionadas a transtornos mentais como depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar, transtorno obsessivo-compulsivo etc. Também a pessoas com quadro de uso nocivo e dependência de substâncias psicoativas, como álcool, cocaína, crack e outras drogas.

Além das ações assistenciais, o Ministério da Saúde também atua na prevenção de problemas relacionados a saúde mental e dependência química, implementando, por exemplo, iniciativas para prevenção do suicídio, por meio de convênio firmado com o Centro de Valorização da Vida (CVV), que permite a ligação gratuita em todo o país por meio do número 188.

Mais informações no MS

No site do Ministério da Saúde, em uma página especial sobre a saúde mental, estão disponíveis várias outras informações interessantes e importantes sobre os cuidados com a saúde mental, como a estrutura de atendimento nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS); o que é Reabilitação Psicossocial; quem pode ser afetado por problema de saúde mental e/ou dependência química; falsos conceitos sobre saúde mental; tratamentos para saúde mental e dependência química; direitos das pessoas com transtornos mentais; entre outras que valem a leitura.


Esperamos que você tenha gostado do material que preparamos sobre os cuidados com a saúde mental. Você pode ter certeza que foi preparado com muito carinho para você.

Os cuidados com a saúde mental é uma das principais preocupações no momento. Nosso desejo é que o conteúdo dessa publicação sirva de referência para você se inspirar e se cuidar. Preste atenção nas informações apresentadas aqui, siga as dicas e recomendações, e não deixe de buscar ajudar caso se sinta em situação de risco.


IMAGENS:
Destaque: por hainguyenrp de Pixabay
Imagem 2 (desenho cabeça, cérebro e foto mão com eletricidade): por geralt de Pixabay
Imagem 3 (modelo de um cérebro): por Weksart de Pixabay



EuPOSSOmudar

O EuPOSSOmudar tem como propósito informar, esclarecer, elucidar, inspirar, debater, apresentar conteúdos atuais e confiáveis, relacionados a saúde, alimentação, bem-estar, exercícios, suplementação e comportamento, para que você possa refletir, analisar e decidir por promover mudanças em seus hábitos rotineiros em busca de uma melhor qualidade de vida, saúde, satisfação pessoal, para assim ser mais feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 3 =